RISOTTO WITH MUSHROOMS AND SNOW PEAS
RISOTTO WITH MUSHROOMS AND SNOW PEAS
PRATOS PRINCIPAIS
PRATOS PRINCIPAIS

RISOTTO DE COGUMELOS E ERVILHAS TORTAS

Cremoso e ridiculamente delicioso, aprende a fazer um Risotto de Cogumelos e Ervilhas Tortas memorável! E sim, é 100% vegetal!

Cremoso e ridiculamente delicioso, aprende a fazer um Risotto de Cogumelos e Ervilhas Tortas memorável! E sim, é 100% vegetal!

DE MILÃO PARA O MUNDO

Quando o assunto é arroz poucos são os que fazem cara feia,certo? Até podemos não gostar de arroz de tomate, mas gostamos de arroz de cenoura. Até podemos não gostar de arroz malandirnho mas gostamos de arroz seco. Arroz há para todos os gostos e sem dúvida nenhuma que é isso que faz dele um dos cereais mais unânimes.

Sabiam que Portugal é o maior consumidor de arroz a nível europeu? Não é difícil de acreditar, tudo o que prato é acompanhado por arroz, e mesmo que venha com batatas o arroz tem de vir sempre de atrelado, porque ai de quem se atreva a servir seja o que for sem arroz!

 

Eu como boa portuguesa que sou, também sou uma apaixonada por arroz, e no meu caso específico não sou nada esquisita, contando que o prato venha cheio!

 

Há imensos tipos de arroz e imensas receitas de arroz, mas a que escolhi para partilhar convosco hoje é a do famoso risotto! Um prato de arroz tipicamente italiano bem cremoso e guloso!

 

O risotto, tal como muitas outras receitas, não reúne consenso no que diz respeito á data da sua origem. Há quem diga que remonta ao século XVI e outros que dizem que o prato, como nós o conhecemos hoje, só surgiu em meados do século XX.

 

Historiadores de culinária concordam que os primeiros pratos que se assemelhavam a um risotto tiveram a sua origem durante o Renascimento, na região da Lombardia em Milão.

 

Diz a lenda que o prato data de 1574, quando um homem de seu nome Valerius foi encarregado de fazer o vitral para adornar a Catedral Duomo Di Milano. Enquanto este trabalhava, muitos dos habitantes da cidade gozavam com ele por causa do açafrão que ele usava para colorir as suas obras.

Vai daí e movido pela fúria, Valerius resolve vingar-se e durante o casamento do seu mestre, adiciona uma quantidade enorme de açafrão ao arroz que estava a ser servido como prato principal. Só que ao invés de arruinar o arroz e a festa, o arroz fez um imenso sucesso, e os convidados até o apelidaram de “Risos optimus”, que é o mesmo que dizer “excelente arroz” só que em latim. Assim nasceu o Risotto alla Milanese. Se a lenda é verdadeira ou não, ninguém sabe, mas que o tradicional Risotto alla Milanese tem de ter açafrão, isso ninguém pode negar.

 

Imaginem só que nas décadas de 1920 e 1930, o regime fascista italiano tentou impor o risotto como prato nacional chegando até a criar um conselho nacional do arroz para promover o consumo do mesmo?

 

Como todas as receitas deliciosas, o risotto também se foi espalhando um pouco por todo o mundo e hoje é visto como um prato gourmet a que ninguém resiste.

 

É um dos mais antigos exemplos daquilo que hoje é conhecido como slow food. Uma receita de cozimento lento, onde os sabores são apurados e desenvolvidos ao máximo, criando a fusão perfeita entre todos os elementos da receita.

 

Confesso, adoro um bom risotto e acho mesmo que o segredo reside neste cozimento lento e em todo o amor que é necessário colocar na confecção do prato.

ESTA RECEITA É:

FÁCIL | CREMOSA | RICA EM SABOR | SEM GLÚTEN | COM QUEIJO | DE COMER E CHORAR POR MAIS

 

 

O risotto parece à partida uma receita muito complexa, muito por causa de conotarmos risotto a comida gourmet, restaurantes fancy, cozinha de chef. Mas a verdade é que é um prato relativamente simples de fazer. A única coisa que ele requer é de tempo para lhe dedicarmos.

 

A primeira coisa a ter em atenção para se fazer um risotto é o tipo de arroz. Podemos comprar aquele que diz na embalagem que é arroz de risotto, ou então comprar arroz arbório, que é basicamente o mesmo só que dito de duas formas diferentes. Não, não dá pra fazer risotto com arroz agulha, nem com arroz integral, nem com arroz basmati, esqueçam… risotto precisa de arroz redondo, de grão curto e bem rico em amido. É isso que vai dar aquela cremosidade toda no final!

 

Depois só precisamos de escolher os ingredientes que vamos juntar, e aí podemos ser bem criativos ou escolher de acordo com as nossas preferências. Eu confesso que adoro risotto com cogumelos, por isso não podia deixar de partilhar esta versão convosco.

 

Para finalizar não pode faltar a manteiga, de preferência sem sal e bem geladinha, para dar aquele sabor e brilho extra, e o queijo, que tradicionalmente é o parmesão, mas eu acho que também podemos ser algo criativos nesta parte, desde que não e usemos queijos como cheddar ou mozzarella por exemplo, não que seja proibido, mas são queijos com sabores muito específicos e muito fortes e podem roubar um bocadinho a cena,e não é isso que se pretende de todo. Neste caso eu usei uma alternativa vegana de queijo curado á base de nozes e resultou lindamente!

 

Como estamos na altura das ervilhas tortas eu não resisti e juntei a este risotto, e meus queridos, que sabia decisão. Ervilhas tortas casam tão mas tão bem com risotto de cogumelos!

 

Bora conhecer todos os ingredientes que precisam para fazer o Risotto de Cogumelos e Ervilhas Tortas?

RISOTTO WITH MUSHROOMS AND SNOW PEAS
RISOTTO WITH MUSHROOMS AND SNOW PEAS
PREP. TIME​ 10 MIN
TEMPO DE COCÇÃO 20 MIN
TEMPO TOTAL 30 MIN
DOSES 4
RESTRIÇÕES ALIMENTARES VEGAN | SEM GLÚTEN
COZINHA ITALIANA
PREP. TIME​ 10 MIN
TEMPO DE COCÇÃO 20 MIN
TEMPO TOTAL 30 MIN
DOSES 4
RESTRIÇÕES ALIMENTARES VEGAN | SEM GLÚTEN
COZINHA ITALIANA

Ingredientes:

1 cebola pequena (100gr)

2 c.sopa de azeite

330gr de arroz

1 cup de vinho branco

2 c.café de sal

1,5L de caldo de legumes

250gr de cogumelos portobello

150gr de ervilhas frescas

100gr de ervilhas tortas

35gr de manteiga vegana (usei a Flora Plant Based sem sal)

50gr de queijo vegano (usei queijo curado de Noz da SAYVE)

Pimenta preta

Ingredientes:

1 cebola pequena (100gr)

2 c.sopa de azeite

330gr de arroz

1 cup de vinho branco

2 c.café de sal

1,5L de caldo de legumes

250gr de cogumelos portobello

150gr de ervilhas frescas

100gr de ervilhas tortas

35gr de manteiga vegana (usei a Flora Plant Based sem sal)

50gr de queijo vegano (usei queijo curado de Noz da SAYVE)

Pimenta preta

Instruções:

1- Começa por picar a cebola bem pequenina, cortar os cogumelos em cubinhos e aquecer o caldo de legumes. O caldo precisa de estar quente durante todo o processo.

 

2- Numa frigideira grande, ou panela, coloca o azeite e a cebola e deixa a cebola suar, isto é, libertar alguma da sua água e começar a ficar mais macia, em lume alto.

 

3- Adiciona os cogumelos, as ervilhas frescas e o sal e vai mexendo com a colher de pau, durante uns 3 minutos, ou até que vejas que os cogumelos reduziram um pouco do seu tamanho e começam a largar um pouco da sua água.

 

4- Reduz o lume para médio e adiciona o arroz. Continua a mexer durante um minutinho, para envolver bem o arroz com todos os outros ingredientes e para “tostar” um pouco o arroz.

 

5- Adiciona o vinho e mexe,até que ele evapore por completo.

 

6- Adiciona um cup do caldo de legumes e mexe gentilmente, até que este evapore. Repete o processo até que o arroz alcance o ponto de cremosidade e cozimento desejado. Só adicionas um novo cup ou concha de sopa ao arroz, depois do anterior ter evaporado por completo. Este processo leva em torno de uns 20 minutos, mexendo de forma contínua e tranquila.

 

7- Na segunda dose de caldo que adiciones, adiciona também as ervilhas tortas.

 

8- O arroz estará pronto quando o grão estiver bem crescido e gordo, e a cremosidade seja visível e apetecível. Se abrires um caminho com a colher de pau na frigideira, o arroz deve lentamente voltar a fechar esse caminho. Se provares e vires que o arroz está cozido mas ainda tem algum caldo residual não faz mal, desliga o lume que o arroz rapidamente vai absorver essa humidade. Se pelo contrário achares que queres o teu risotto um nadinha mais fluido adiciona um bocadinho de caldo e desliga o lume. De qualquer das formas o resultado final deve sempre ser cremoso.

 

9- Com o fogão desligado, adiciona a manteiga e mexe bem para envolver em todo o arroz. Adiciona o queijo ralado e envolve novamente.

 

10- Serve de imediato! Por ser tão cremoso, o risotto tende a ganhar uma textura tipo papa conforme vai arrefecendo, por isso vai da frigideira/panela directamente para o prato. Finaliza com queijo ralado extra por cima e pimenta preta moída na hora.

Instruções:

1- Começa por picar a cebola bem pequenina, cortar os cogumelos em cubinhos e aquecer o caldo de legumes. O caldo precisa de estar quente durante todo o processo.

 

2- Numa frigideira grande, ou panela, coloca o azeite e a cebola e deixa a cebola suar, isto é, libertar alguma da sua água e começar a ficar mais macia, em lume alto.

 

3- Adiciona os cogumelos, as ervilhas frescas e o sal e vai mexendo com a colher de pau, durante uns 3 minutos, ou até que vejas que os cogumelos reduziram um pouco do seu tamanho e começam a largar um pouco da sua água.

 

4- Reduz o lume para médio e adiciona o arroz. Continua a mexer durante um minutinho, para envolver bem o arroz com todos os outros ingredientes e para “tostar” um pouco o arroz.

 

5- Adiciona o vinho e mexe,até que ele evapore por completo.

 

6- Adiciona um cup do caldo de legumes e mexe gentilmente, até que este evapore. Repete o processo até que o arroz alcance o ponto de cremosidade e cozimento desejado. Só adicionas um novo cup ou concha de sopa ao arroz, depois do anterior ter evaporado por completo. Este processo leva em torno de uns 20 minutos, mexendo de forma contínua e tranquila.

 

7- Na segunda dose de caldo que adiciones, adiciona também as ervilhas tortas.

 

8- O arroz estará pronto quando o grão estiver bem crescido e gordo, e a cremosidade seja visível e apetecível. Se abrires um caminho com a colher de pau na frigideira, o arroz deve lentamente voltar a fechar esse caminho. Se provares e vires que o arroz está cozido mas ainda tem algum caldo residual não faz mal, desliga o lume que o arroz rapidamente vai absorver essa humidade. Se pelo contrário achares que queres o teu risotto um nadinha mais fluido adiciona um bocadinho de caldo e desliga o lume. De qualquer das formas o resultado final deve sempre ser cremoso.

 

9- Com o fogão desligado, adiciona a manteiga e mexe bem para envolver em todo o arroz. Adiciona o queijo ralado e envolve novamente.

 

10- Serve de imediato! Por ser tão cremoso, o risotto tende a ganhar uma textura tipo papa conforme vai arrefecendo, por isso vai da frigideira/panela directamente para o prato. Finaliza com queijo ralado extra por cima e pimenta preta moída na hora.

ALGUMAS DICAS:

*O queijo curado de noz da SAYVE está disponível para venda na loja online da NaturallyGreen e se usarem o código TAVG têm sempre 10% de desconto..

ALGUMAS DICAS:

*O queijo curado de noz da SAYVE está disponível para venda na loja online da NaturallyGreen e se usarem o código TAVG têm sempre 10% de desconto..

FIZESTE ESTA RECEITA? ENTÃO PARTILHA.

Marca @things_about_a_vegan_girl no instagram e usa a hashtag #thingsaboutavegangirl para que todos possamos ver a tua obra de arte!!!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on vk
Share on whatsapp
Share on email

FIZESTE ESTA RECEITA? ENTÃO PARTILHA.

Marca @things_about_a_vegan_girl no instagram e usa a hashtag #thingsaboutavegangirl para que todos possamos ver a tua obra de arte!!!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on vk
Share on whatsapp
Share on email

TAMBÉM PODES GOSTAR...

TAMBÉM PODES GOSTAR...

Sê o primeiro a receber as minhas últimas receitas.

SUBSCREVE A MINHA NEWSLETTER. É GRÁTIS!

SUBSCREVE A

MINHA NEWSLETTER.

É GRÁTIS!

Sê o primeiro a receber as minhas últimas receitas.